Como aumentar a performance de seu viajante corporativo?

Como aumentar a performance de seu viajante corporativo?

Seus resultados dependem de viagens para negociações? Já parou para pensar no bem estar do seu viajante? E se eu te dissesse que a saúde mental e física do seu colaborador é a chave para garantir o sucesso dessas viagens. Acreditaria? Você certamente já ouviu as queixas do desgaste do viajante, aliado a falta de sucesso da viagem. Parece bobeira, mas não é. E pode ser o problema que está reduzindo os atingimentos da sua empresa, assim, não pode ser ignorado.

Agora, entenda o motivo de se preocupar com o bem estar do seu colaborador:

  1. É comprovado que uma boa noite de sono é equivalente a uma boa performance. Se você não dormir por 24h, há uma queda de 400% na sua produtividade. 400% é muita coisa, concorda?
  2. Segundo uma pesquisa publicada na Harvard Business Review, ter uma dieta balanceada e uma boa hidratação tem um grande efeito na ansiedade, um dos fatores que podem atrapalhar o sucesso da negociação. Sabemos que assuntos que exigem o “cara a cara” demandam foco e decisões rápidas na fala. Diante disso, a ansiedade só atrapalha.
  3. Durante as viagens, os colaboradores estãos submetidos a políticas financeiras rígidas, que o direcionam para o vôo noturno barato. Além de preocupações como horário e distância do hotel – nem sempre confortável. No final, o único prazer do viajante está em usufruir do orçamento da empresa. Nessas circunstâncias, quem não faria o mesmo?
  4. Para fazer uma reserva, leva-se uma média de 60 minutos só para escolher o aéreo e hotel. Sem falar das inúmeras adversidades que podem ocorrer durante todo processo, deixando o viajante mais preocupado com os problemas do que com o seu objetivo.

Daria para escrever uma lista sobre as dificuldades enfrentadas pelo seu colaborador. Mas já deu para entender que estar “na pele” dele não é fácil. E sabe quem mais isso afeta? Isso mesmo, você. Mas não se preocupe, já estive no papel dele e meu objetivo é te ajudar.

Sendo assim, te listo 6 dicas que vão ressignificar as viagens de negócios da sua empresa. Pegue sua agenda, bloco de notas, keynote, salve a URL do blog da Portão 3… o que preferir:

1. Escute-o

Você pode ler esse ou outros mil sobre como melhorar a experiência de seu colaborador com as viagens do mundo business. Mas nunca – repito – nunca, vai ser tão efetivo quanto ouvir a ele mesmo. Ninguém mais que o viajante quer obter sucesso na negociação e sabe falar sobre sua experiência.

Pense comigo, supondo que você vai viajar de Uberlândia a São Paulo: Seu vôo foi cancelado. Você dormiu no aeroporto. No dia seguinte foi direto para reunião. O trânsito estava difícil. O seu cliente atrasou e lembrou que não tinha feito a sua reserva no hotel. Você gostaria no mínimo que a reunião fosse produtiva, certo? Eu sei, pensando assim até consigo imaginar você querendo ir falar com ele agora. Mas calma que tem mais dicas.

2. Pergunte se ele está bem para viajar

Ainda priorizando o bem-estar dele. Para ir a outra cidade e colher bons frutos de reuniões, é necessário estar bem de saúde. Antes de delegar a viagem, questione se ele está bem para ir. Ele se conhece, entende suas limitações, se está doente ou passando por algum problema. E você não vai querer forçar uma viagem, que será somente um investimento alto sem retorno.

3. Converse sobre o pós-viagem!

O pós-viagem é muito importante. Seu colaborador provavelmente está cansado e possui notícias. Ele deve estar ansioso para te contar. No entanto, independente do resultado, queira saber como foi para ele a viagem. Afinal ele abdicou de momentos com a família e lazer para se dedicar a empresa. Demonstre empatia e caso ele tenha obtido sucesso, reconheça-o.

Sempre tenho em mente “Um colaborador satisfeito é equivalente a um colaborador produtivo”. Bem clichê, mas não poderia ser mais verdade. É nítido em empresas como a Google que há anos cultiva uma cultura de bem-estar, resultados, competitividade e reconhecimento. E a Nubank, mais nova e querida no Brasil, que para ser referência na experiência do consumidor, foca em cuidar da experiência dos “Nus”. Felizes com o trabalho, refletem na entrega de qualidade aos clientes do “roxinho”.

4. Faça parceria com uma travel tech

Te mostrei vários pontos que deixam a viagem de seu colaborador estressante. Você deve estar pensando que não tem tempo para cuidar disso tudo. E sim, eu te entendo. Quem disse que você tem que fazer tudo isso sozinho? Para isso, existem as Travel Tech, se você não conhecia o termo presta atenção que pode te salvar.

Elas auxiliam seu papel como gestor de viagem, facilitam por meio de plataformas que gerenciam as reservas de modo simples e rápido, fazem atendimento pessoalizado e estão com você do início ao fim da jornada, além de realizar transações, ter facilidades tecnológicas diferentes do mercado, entre outros benefícios.

A única preocupação do viajante, será ativar as skills de negociação e fechar parcerias. Você pode até monitorar a execução das políticas financeiras. Tal contexto, favorece o colaborador e a empresa.

5. Analise sua política de viagem

As sugestões de soluções citadas são importantes, mas esse é o tópico mais relevante. Independente do parceiro, ou cuidados que você tenha, a política de viagem da sua empresa é o que rege na prática a experiência do seu colaborador.

E se por meio de investimento para vôos diurnos e hotéis confortáveis, você conseguisse maiores lucros dessas viagens? Lembra que eu comentei sobre ele gastar todo o orçamento? Você pode viabilizar a geração de incentivos para os colaboradores que economizam mais, corroborando maior sustentabilidade.

Pequenas flexibilizações fazem total diferença e são extremamente essenciais quando se trata sobre reduzir o estresse enfrentado na viagem. Uma boa experiência é movida por detalhes.

6. Seja um líder

Por fim, eu resumiria todas as outras nessa. O que é ser um líder para você? Pensou? Para nós é: Tenha sentimento de dono! Seja a pessoa que se preocupa com os detalhes. Seja o gestor de viagens que se destaca, quem os viajantes gostam e fazem questão de trabalhar. O profissional que está a frente do mercado porque consegue associar boas experiências a resultados.

Marcey Rader viajante e coach de produtividade, responsável por ajudar empresas ao assegurar a saúde e alavancar performance dos viajantes, reafirma aquilo que discutimos no início do texto: “Seu corpo não consegue tomar decisões se não estiver bem e isso reflete no mundo business.”

Faço questão de fazer você enxergar a jornada do seu viajante! Leia quantas vezes for necessário. Pois você pode ser o responsável por alavancar os resultados da sua empresa. Não ignore a experiência, como muitos fazem. Como diria Stephen Covey, “Trate sempre os seus funcionários exatamente como quer que eles tratem os seus melhores clientes.” Suas viagens corporativas nunca mais serão as mesmas.

Leave a Reply

Your email address will not be published.