ESG: Como manter uma empresa sustentável e competitiva ao mesmo tempo?

esg

O mercado, em geral, tem valorizado muito uma gestão corporativa adequada em relação às questões sociais, ambientais e de governança – independente do porte da empresa. Inclusive, essas soluções chamam bastante atenção!

É por isso que muitos empresários buscam alternativas para adaptar suas empresas a um padrão mais sustentável. Você acha que essa é uma questão que diz respeito somente à consciência ambiental? Seria ótimo, mas também há uma grande pressão por parte do mercado financeiro nesse sentido. 

Sendo assim, podemos dizer que investir nas iniciativas ESG (Environmental, Social e Governance) é uma prática que literalmente ganhou o mundo dos negócios e mudou o cenário de todos os setores (em especial, as tratativas entre empresas e investidores).

Isso fez com que empresas adeptas a esses princípios criassem fundos focados em manter tais compromissos e se ajustassem às práticas sustentáveis. Inclusive, essas práticas passaram a ser consideradas como uma parte importante da estratégia financeira de empresas, o que agrega competitividade.

Conclui-se, então, que para continuar sendo competitiva no mercado as empresas precisam adotar práticas sustentáveis! 

Hoje nós vamos abordar este assunto apresentando mais detalhes. Nosso intuito é te ajudar a fazer a diferença em seu segmento, tendo uma empresa reconhecida por sua qualidade e também por seus feitos.

Acompanhe!

Qual é a relevância das práticas de ESG para o mercado brasileiro atual?

Já faz algum tempo que as pessoas estão cada vez mais interessadas em ações sustentáveis! 

A possibilidade de expressar opinião na internet também fez com que as empresas tivessem obrigação de se posicionarem sobre assuntos relacionados aos impactos gerados tanto no meio ambiente quanto na saúde (física e psicológica) da população.

Isso quer dizer que o valor das empresas passou a ser medido pela capacidade de adaptação ao meio, além de sua preocupação com o planeta e com a sociedade.

Em 2019 foi realizada uma pesquisa pela agência norte-americana Union + Webster, a qual mostrou que 87% dos consumidores brasileiros têm preferência por produtos de empresas que apoiam a sustentabilidade e fazem prova disso com seus produtos ou serviços – como, por exemplo, usando fontes  de energia renováveis para viabilizar suas operações. 

E tem mais! 70% dos entrevistados ao longo da pesquisa ainda afirmam que não se importam de pagar um pouco mais para ter acesso a produtos sustentáveis ou para contratar serviços de empresas que investem em recursos ecologicamente corretos.

Pelo poder concedido à opinião pública e o interesse que os investidores têm em agradar seus consumidores, é normal que grande parte dos negócios estejam em busca de uma política de adequação tanto ambiental quanto social.

Vamos deixar claro: se você tem uma empresa e quer aumentar as chances de receber investimentos para se desenvolver no mercado, considere aderir às práticas ESG o quanto antes.

Outro dado que pode te convencer disso é o seguinte: 46% dos empreendedores e colaboradores das grandes empresas do Brasil já trabalham com programas de ESG – de acordo com relatório “Inovação e ESG”, da ACE Cortex (divulgado na Forbes).

Os pilares do ESG representam a melhor alternativa para companhias que pretendem ser cada vez mais competitivas, já que hoje é preciso demonstrar responsabilidade ambiental e social para conseguir construir uma imagem sustentável.

Isso tudo não afeta somente as empresas já consolidadas no mercado, mas também representa um grande marco para empreendedores.

Por que ESG é cada vez mais importante para as empresas?

Como já foi mencionado neste conteúdo, as empresas precisam atrair novos investidores. Para conseguir isso, o cenário atual exige que o foco não seja em seu lucro ou no seu crescimento, mas também nos métodos ESG.

Antes essa preocupação poderia até ser considerada como o grande diferencial dos negócios, mas agora é vista como uma estratégia fundamental.

Sendo assim, fica evidente que a adequação da companhia a essas estratégias de investimento são extremamente importantes para possibilitar o crescimento da mesma e também a consolidação da marca no mercado.

Como as empresas no Brasil estão hoje nesse processo?

O interesse das empresas brasileiras pelos “novos” critérios sustentáveis é evidente e está a todo vapor.

Por mais que essas práticas não sejam uma novidade no mercado, os últimos anos têm sido marcados por uma grande movimentação do mercado. 

Até o ano de 2017, poucas empresas realmente se dedicavam a mudanças significativas em sua política – tanto que apenas 4,1% de todas as empresas do país chegaram a publicar relatórios de sustentabilidade entre 2015 a 2017 (segundo o IBGE).

Ainda de acordo com o IBGE, houve grande mudança relacionada à inovação e também à sustentabilidade – especialmente nos seguintes processos (seguidos da porcentagem de empresas que realizaram mudanças em tais atividades internamente):

  • Reciclagem de resíduos, uso de águas residuais ou materiais para vendas: 57,9%;
  • Redução de contaminação da água, solo, ruído ou ar: 51,3%;
  • Substituição (total ou parcial) de matérias-primas por outras menos contaminantes/perigosas: 37,7%;
  • Redução total de produção de CO₂: 33,1%;
  • Substituição (total ou parcial) da energia oriunda de combustíveis fósseis por fonte de energia renovável: 17,2%.

Conseguimos perceber que, apesar de ainda existirem muitas mudanças necessárias, grande parte das empresas estão se conscientizando e buscando ter impactos positivos no meio-ambiente (ou menos agressivos).

E as empresas que ainda não são ESG? Qual o futuro desses negócios?

A tendência é que empresas não adeptas e não adequadas ao ESG sofram economicamente de maneira significativa, já que podem não só perder o interesse dos investidores atuais, mas também não receber novos investimentos.

Não podemos negar que a cobrança por parte da população, que até anda fiscalizando empresas, será algo contínuo e muito impactante!

Com essas previsões não queremos causar medo ou fazer pressão em empresas que ainda não estão a favor dessas mudanças. Nosso intuito é te levar ao entendimento que não há motivos para ir contra o movimento sustentável e social – ao mesmo tempo que tem muito a se perder caso isso não aconteça.

Empreendimentos ESG já estão tendo um destaque maior no mercado e vão continuar recebendo mais verbas para gerar um impacto positivo real e expressivo ao meio-ambiente.

Esse processo se tornou algo natural e vai continuar acontecendo de qualquer maneira. Portanto, se quiser ter chances reais no mercado, busque filiar-se a essa missão.

Vale dizer que a ESG não tem foco apenas em empresas de médio e grande porte! O mesmo processo pode ser realizado por empresas de qualquer porte – basta visar o crescimento e estabelecer políticas ambientais corretas para se destacar.

Isso também facilitará bastante os próximos passos, porque quando uma pequena empresa que pratica as regras ESG alcançar um porte médio, por exemplo, não vai ser preciso que a mesma comece a lidar com esses processos do zero.

Nós, da Portão 3, esperamos ter te ajudado a entender mais ainda sobre o universo ESG! Queremos fazer parte do crescimento da sua empresa, te ajudando a traçar novas políticas sociais, ambientais e de governança com maestria.

Leave a Reply

Your email address will not be published.