Transparência financeira: 5 dicas fundamentais

transparência financeira

A cada ano que passa, novas tecnologias são lançadas no mercado e surgem para facilitar a vida de todos nós, os usuários. Felizmente, o mundo corporativo está inserido neste cenário, e no campo financeiro não seria diferente.

Apesar disso, existem alguns problemas que toda empresa acaba tendo que lidar, até mesmo com algumas das evoluções disponíveis – como, por exemplo, a transparência financeira. Essa é uma das questões mais difíceis de se solucionar. 

Você sabe o que é transparência financeira? Já ouviu falar nesse termo?

Apesar de ser supostamente simples, trata-se de algo um pouco mais complexo, principalmente para as grandes empresas.

Para facilitar, neste texto nós trouxemos algumas informações e dicas sobre o assunto. Se você tem dificuldades ao lidar com esse problema, leia até o final! 

O que é transparência financeira?

Ter transparência financeira quer dizer que a sua empresa tem uma definição sobre quais são as entradas e saídas, com informações sobre capital de giro, investimentos e pagamentos, entre outros. 

Entretanto, há uma dificuldade em reunir essas informações quando existe um volume muito alto de transações, fazendo com que a empresa não tenha uma noção muito clara sobre onde está sendo empregado o dinheiro da corporação. 

Este comportamento é bastante grave, porque quanto menos se sabe sobre o setor financeiro da empresa, mais fácil será de acontecer problemas (como fraudes e cobranças indevidas).

Para se ter uma noção da grande dificuldade que é ter acesso a tais informações em uma empresa, trouxemos dados sobre o departamento financeiro para exemplificar. Ao fornecer capital para diversos tipos de atividades econômicas, os bancos brasileiros detêm grande parte do capital de giro do país. 

Ao analisar o estudo de Transparência e Prestação de Contas no setor financeiro realizado com 47 bancos de 7 países (sendo eles Bélgica, Brasil, França, Holanda, Indonésia, Japão e Suécia), é possível notar que a pontuação de todos os bancos brasileiros, ficam abaixo do ideal. 

Essa pontuação considera quatro aspectos: 

1- Publicação de políticas e gestão de riscos

2- Divulgação de investimentos; 

3- Relatórios sobre a participação em empresas e comportamento eleitoral; 

4- Diálogo com partes interessadas. 

Agora, se até mesmo os bancos têm dificuldade em reter esses dados, imagine empresas de grande porte e multinacionais? 

Felizmente, com o desenvolvimento do mercado de fintechs, hoje esses problemas podem ser sanados. Com o auxílio de tais negócios, o sistema financeiro de uma empresa pode deixar de ser algo arcaico e se tornar algo automatizado, seguro e eficaz. 

Se você chegou até aqui e quer desenvolver a prática da transparência financeira na sua empresa, aqui vão alguns passos fundamentais:

1. Inclua a conciliação bancária em seus relatórios financeiros

A conciliação bancária compara o seu controle financeiro interno com o valor das transações feitas em cartões de crédito e débito. O intuito é saber se as suas contas estão alinhadas com o que foi cobrado pelas operadoras de cartão. 

Os relatórios financeiros também devem ser feitos no mínimo mensalmente e contar com o balanço em aberto – todas as receitas que entraram, as despesas que saíram, bem como o balanço final para abertura do mês seguinte.

2. Procedimentos para reembolsos devem ser feitos

Para haver um maior controle dos reembolsos, as despesas devem ser aprovadas pela diretoria e incluir os recibos nos registros. 

3. Atenção ao gerenciamento da conta bancária

Além de incluir o extrato da conta bancária nos relatórios financeiros, é importante analisar as contas regularmente. Essa análise deve garantir que os extratos bancários estejam alinhados com os extratos financeiros. Além disso, a senha deve ser atualizada de tempos em tempos, para proteger os fundos. 

4. Conduza auditorias e análises

Essas análises devem contar com atas aprovando despesas e receitas, além de relatórios de projetos que contam com implicações financeiras. 

Também é necessário que haja sempre um relatório de fim de ano conciliado com todos os documentos de despesas e receitas.

5. Tenha um sistema antifraude

Por meio de um banco de dados (Big Data), reúna dados de todos os seus clientes (como IP, localização e número do cartão de cada um). Esses dados são importantes porque podem ajudar a investigar a legitimidade das transações feitas, ou seja, prevenir a sua empresa contra fraudes. 

Como a Portão 3 pode ajudar?

Gostou das dicas sobre transparência financeira? Apesar de simples, se não for bem implementada, a transparência financeira poderá acarretar em dificuldades maiores para a empresa. 

Por isso, é importante manter a atenção nos mínimos detalhes e estar sempre aberto à novidades do mercado que podem facilitar a sua vida! Na Portão 3, por exemplo, temos soluções que podem ajudar. 

Nossa plataforma vai te proporcionar ferramentas indispensáveis para facilitar todas as tarefas do cotidiano em uma equipe que lida com as responsabilidades financeiras. 

Com a P3 você acompanha todas as despesas, pagamentos, controle de notas e diversas outras facilidades.

Caso queira mais dicas financeiras, leia também o nosso artigo sobre planejamento financeiro com dicas do Helton Bezerra, sócio da Ambidexo e não deixe de acompanhar nosso blog!

A Portão 3 é a melhor solução para Contas a Pagar de médias e grandes empresas. Converse agora mesmo com um dos nossos especialistas para você saber mais sobre os melhores produtos para uma experiência de gestão financeira mais prática, completa e flexível!

Leave a Reply

Your email address will not be published.